30 de julho de 2011

O MUNDO DO ROSPO 5

Olá! Cá estamos em  mais uma conversa ao pé do sábado.
Quero começar apresentando um blog de poesia, mas de poesia feita por alunos, e alunos do Ensino Fundamental I. O nome do blog é SERAFIN DE POETAS,  e aqui está o endereço. Mandem um abraço para os Serafins, pois assim são chamados esses poetas. Vejam que blog lindo!

http://serafindepoetas.blogspot.com/
E agora...

Você conhece a GRISELMA?
Esta bruxinha encantadora pediu, e eu a trouxe aqui:

E você, por acaso, já pensou em morar num PALÁCIO DOS EUCALIPTOS?
Pois aqui estou com as fadas que moram nesse palácio. 

E aqui está ele!:

E só para lembrar, estarei dia 13 de Agosto, em São Bernardo, na FELIT, pela Editora Noovha América, para conversar com os amigos. Você irá?




________________________________________________________________________


Olhe! Veja quem está chegando ao cinema!

________________________________________________________________

E eu?
 ____________________________

 Tudo bem, Rospo! 
Pode contar as suas histórias!



 ROSPO NO METRÔ

Inconformado com o fato de uma senhora sapa viajar ao lado de sua filha sem dizer uma palavra com a sapinha, Rospo bota a boca no ar.
— Minha senhora, chegamos. É a última estação.
— Eu sei, sapo! Eu vi.
— Mas não viu a sua própria indelicadeza, a sua própria estupidez, que geralmente é "Invisível" aos próprios olhos.
— Do que o senhor está falando? Por acaso me conhece?
— Conheci nesta viagem. Por que faz isso com o futuro?
— Você é maluco? Nem sei do que está falando...
— Não trocou uma palavra com a sua filha. Ficou ao lado dela em silêncio, como se ela fosse uma desconhecida...Por acaso não sabe que criança adora conversar? Quer que ela fique parecida com a senhora?
— Seu sapo atrevido! Se eu não conversei com a minha filha, o que o senhor tem a ver com isso?
— Tenho tudo a ver. A criança, o sapinho, é da sociedade, é de todos, é da comunidade dos sapos...Todos devemos cuidar dos pequenos. Não faça mais isso. Não desperdice a oportunidade de conversar com o futuro. Não crie uma geração acanhada, muda, insegura...
— Sapo, foi apenas uma viagem de metrô!
— Foi mais do que isso. Foi uma grande perda! A propósito, meu nome é Rospo.
— Tchau, seu Rospo, tchau...
— Tchau, Sapinha.
— Não fale com estranhos! Eu já lhe proibi!
— Mas, mãe...
— Silêncio!
HISTÓRIAS DO ROSPO
Marciano Vasques


ROSPO E A CURIOSIDADE INFANTIL

Rospo está arrumando a sua biblioteca particular quando chega a Sapabela.
 —Tem bastante livros, Rospo. Parabéns!
—Estou organizando. Como você sabe, a criançada vive aqui. Sobrinhos, filhos dos amigos...
—Bom que a sua biblioteca seja um lugar atraente para os pequenos. O que está fazendo?
—Escrevendo um pequeno cartaz: PROIBIDO PARA CRIANÇA.
— Mas esses livros são infantis.
—Por isso mesmo.
—Explique.
— Eu quero que eles sejam lidos pela garotada.
—Mas pôs que é PROIBIDO.
—Parece que você não conhece a curiosidade das crianças.
— É verdade, Rospo. Se você diz que é proibido para as crianças, isso é o suficiente para despertar a curiosidade delas.
Exatamente. Basta dizer que é proibido, e já garantiu que elas tentarão ler de todo jeito. 
MARCIANO VASQUES  



A PROFESSORA ENGESSADA


Entrou correndo, em alta velocidade, atirou longe a mochila e foi logo contando a novidade, toda ofegante.
— Tia Sapabela! A minha professora está com gesso.
—No braço ou na perna, Amélia?
— Nos braços, nas pernas...
—Sua professora está toda engessada?
—" Pobre professora. deve ter sofrido um acidente. Amanhã irei visitá-la" - Pensou a Sapabela, enquanto a agitada sobrinha já se punha à mesa para fazer a lição de casa.
— Muita lição, Amélia? Não quer primeiro lanchar?



— Não, tia, prefiro fazer a lição. Veja, ela mandou tudo isso de cópia, mais de 10 folhas do livro, e também fazer numerais até 1000, três vezes...
No dia seguinte, lá está a Sapabela com a professora.
— É imaginação da sua sobrinha. Aproveito para dizer que o meu método de ensino é o tradicional. Não acredito nessa história de Construtivismo... O meu planejamento é sempre o mesmo, a cada ano. Eu não mudo...
— Mas mandou muitas páginas de cópia! Como vai sobrar tempo para a imaginação? É estranho que a minha Amélia tenha falado do gesso.
—Certamente é uma visão que ela teve. Sabe como são as crianças de hoje, cismam de pensar...
— "Uma visão...Sim, uma visão do futuro, diante do passado...", meditou a Sapabela.

Em casa, diante da pequena sobrinha:
— Sim, Amélia, você estava certa. A sua professora está mesmo engessada.


ARGUMENTO: Marciano Vasques
ARTE: Daniela Alves Vasques

___________________________________________________________________

Tchau! No próximo sábado, aqui estarei, com chuva ou com sol!

E não se esqueça! Dia 13 de Agosto, na FELIT!

Que algazarra!

_______________________________________________________________________________

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...